PEI

PLANO ESTRATÉGICO DE INTERVENÇÃO

2010 – 2011

Objectivos (Missão, estratégia de actuação e necessidades do território em matéria de qualificação de adultos)

Tendo como referência máxima institucional a missão definida na Carta de Qualidade dos Centros Novas Oportunidades, o CNO da Escola Secundária de Gondomar (ESG) sustenta a sua acção contextualizando-a ainda na Carta Educativa do concelho de Gondomar. Assim, procurando o envolvimento dos diferentes actores sociais locais, de acordo com as realidades e especificidades territoriais definidas nesse documento, o CNO da ESG visa a melhoria da qualidade da oferta educativa e formativa dos gondomarenses. Também é ponto de ancoragem da nossa missão o Projecto Educativo da própria ESG. Assim, “queremos desenvolver e implementar soluções adaptadas à comunidade em que nos inserimos de forma a responder, assegurar e, se possível, ultrapassar as suas expectativas”. Daí que procuraremos ainda dar resposta, através do RVCC Profissional, às solicitações que nos têm surgido, uma vez que a entidade promotora tem já uma larga experiência ao nível da implementação de Cursos de Educação e Formação e Cursos Profissionais na área das ciências informáticas e da prestação de serviços e, por conseguinte, a dinâmica que vem estabelecendo com as diferentes entidades empregadoras locais permite constatar que, também, no âmbito profissional há muitas possibilidades de intervenção. Acresce a isto o facto de a escola possuir diversas salas bem apetrechadas, bem como recursos humanos relevantes.

A nossa estratégia de actuação assenta nos seguintes princípios orientadores: abertura e flexibilidade, confidencialidade, orientação para resultados, rigor e eficiência e, ainda, responsabilidade, autonomia e prestação de contas.

Tendo em conta que o género deve ser encarado como um dos principais elementos organizadores das relações sociais, fomentamos o questionamento dos tradicionais estereótipos de género. Com o aumento da qualificação/certificação das mulheres, promoveremos a igualdade da condição social através da equidade das habilitações escolares, procurando, entre outros, a constituição de grupos de reconhecimento mistos; a dinamização de sessões que promovam a reflexão/discussão das aptidões/competências de ambos os sexos e a sua aplicação prática (situação experimentada pela primeira vez na Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Gondomar, após a verificação da discrepância na atribuição de funções para as quais ambos os géneros estavam igualmente habilitados através da aquisição de competências formais).

Modelo de Organização e Gestão

Estando o nosso CNO sedeado numa escola secundária, o modelo de organização e gestão encontra-se legalmente enquadrado no Despacho nº 7794/2007, de 27 de Abril.

O Director do Centro é também o Director da Escola e representa institucionalmente o CNO, sendo responsável pelo cumprimento das orientações para a sua organização e funcionamento. A coordenação do CNO é exercida pela Coordenadora Pedagógica do CNO, cumprindo o disposto nos nº 7 e 8 do despacho acima designado.

O CNO conta ainda com quatro profissionais de RVC que desenvolvem as diferentes dimensões de intervenção do Centro e uma técnica de diagnóstico e encaminhamento que estabelece em permanência articulações com entidades externas ao Centro no sentido de dar resposta às necessidades de formação dos adultos, e colabora, quando necessário, na realização dos registos no SIGO. Contamos ainda com uma técnica administrativa cujas funções estão legalmente definidas.

Todo o funcionamento do Centro assenta no princípio da flexibilidade, procurando dar sempre resposta às necessidades dos adultos, quer no que respeita a horários, distribuição de serviço e funcionamento dos grupos.

Para o desenvolvimento das formações complementares e colaboração com o profissional no processo de reconhecimento, validação e certificação de competências, o Centro envolve quatro formadores no que se refere à certificação de nível básico e seis formadores no que respeita a certificação de nível secundário, perfeitamente enquadrados no Despacho nº 11203/2007, de 8 de Junho.

No que diz respeito às equipas de formadores procuraremos, ao longo do próximo biénio, estabilizar a sua constituição no sentido de tornar todo o processo inerente às suas funções mais eficaz, mais eficiente, logo de maior qualidade.

Finalmente, a parte administrativa e a gestão do SIGO e do POPH por administrativos afectos ao CNO.

Articulação com a rede de entidades de educação e formação da região

O CNO tem sido um pólo mobilizador do trabalho em rede com outras entidades formativas do concelho de Gondomar o que se reflectiu no papel central que teve no estabelecimento de uma parceria entre todos os CNO’s do concelho, no início do ano transacto. O CNO tem ainda vindo a estabelecer parcerias com diversas instituições do Concelho e da área metropolitana do Porto, no sentido de divulgar o CNO e de potenciar o encaminhamento dos adultos que se inscrevem no Centro para outras ofertas formativas dinamizadas pelas entidades formadoras com as quais o Centro estabeleceu protocolos.

São as seguintes as parcerias estabelecidas pelo CNO:

. protocolos de certificação: CENFIIA, Consultadoria e Estudos Avançados, Lda.; Clube Gondomarense; Associação Empresarial de Paredes

.protocolos de colaboração: Cerealis; Infordidáctica, Centro de Ensino e Formação Profissional, Lda; Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Gondomar; Civinorte; ASPP/PSP

. protocolos de cooperação: Semente, Lda;  CENFIIA;  Tecnokids, Informática, Lda;; Instituto das Artes e da Imagem; CGI, Correia e Geraldes, Informática, Lda; Formaconde, Formação Profissional, Lda; STAE, Zona Norte.

O CNO estabeleceu ainda parcerias com as escolas/agrupamentos de escolas do concelho, já que estas se constituem como um veículo de informação da actividade do CNO e potenciam a mobilização da população para a necessidade de elevar os seus níveis de qualificação. É nossa intenção continuar a desenvolver contactos directos quer com as famílias dos nossos alunos, quer com agregados familiares de alunos de outras unidades orgânicas.

Plano de auto-avaliação

Os mecanismos de monitorização implementados foram vários, sempre procurando a melhoria do desempenho de todos intervenientes com reflexos nos resultados alcançados pelo CNO. Assim, no sentido de conhecermos os impactos da actividade do Centro, procuramos manter actualizados registos do percurso profissional e/ou pessoal dos adultos pós RVCC. Utilizamos variados instrumentos de recolha de informação, procurando perceber o grau de satisfação dos adultos em relação aos diferentes momentos/fases do processo de RVC de forma a podermos ir flexibilizando os vários procedimentos. Prevemos também a construção conjunta de outros instrumentos destinados a objectivar e a sistematizar de forma coerente todos os processos de avaliação implementados no Centro.

Ainda no sentido de proporcionar uma reflexão aprofundada e participada sobre a actuação, a organização e a intervenção local do Centro, permitindo-nos identificar pontos fortes e fracos, oportunidades e ameaças internas e externas, realizámos uma análise SWOT, focalizando os seguintes aspectos: Organização do Centro Novas Oportunidades e Processos de RVCC.

Finalmente, tal como está previsto, temos estado a aplicar o modelo de auto-avaliação CAF proposto pela ANQ/UCP. A receptividade dos elementos envolvidos neste processo tem sido bastante positiva o que nos leva a acreditar que poderemos concluir todos os procedimentos nos tempos previstos.

Plano de formação da equipa

É objectivo do nosso CNO participar em todas as ofertas de formação dinamizadas/propostas pela ANQ, DREN ou outras entidades e em todos os encontros, seminários e conferências inter-Centros Novas Oportunidades.

O nosso CNO irá continuar a promover o Dia Aberto, tendo como objectivos reflectir acerca da importância da educação de adultos na sociedade contemporânea, divulgar o trabalho realizado no CNO à comunidade envolvente e procurar estratégias de cooperação com as forças vivas do concelho de Gondomar.

Prevemos a continuidade de processos de auto/hetero-formação que permitam promover a postura reflexiva e pró-activa de todos os colaboradores. Todas as reuniões da equipa, com uma regularidade semanal, iniciam-se com um período destinado à reflexão acerca das potencialidades e constrangimentos dos processos em desenvolvimento, procurando-se, através da partilha e da reflexão conjunta, encontrar os melhores caminhos para transformar as fraquezas e ameaças em oportunidades e forças. Promoveremos momentos de partilha de experiências enquadradas na temática geral “Boas Práticas”, desta forma pretendemos alcançar objectivos de formação, de divulgação e, ainda, de reconhecimento do mérito.

Itinerâncias

Entidade

Concelho

Distrito

Bombeiros Voluntários de Gondomar

Gondomar

Porto

Bombeiros Voluntários de Valbom

Gondomar

Porto

Cerealis

Porto

Porto

Clube Gondomarense

Gondomar

Porto

Gondomar Sport Clube

Gondomar

Porto